Anvisa não aprova importação excepcional da vacina Sputnik V

0

Por falta de dados consistentes e confiáveis, a Anvisa decidiu, por unanimidade, não recomendar a importação em caráter excepcional da vacina russa Sputnik V. O pedido foi avaliado na noite desta segunda-feira (26), cumprindo o prazo de 30 dias estabelecido pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão foi tomada com base em dados levantados e avaliados pelas equipes técnicas envolvidas.

De acordo com o relator do processo, diretor Alex Machado Campos, a decisão é um retrato do momento. Ele destacou que a Agência é conhecida por viabilizar o acesso a medicamentos e vacinas e que, neste momento de pandemia, a instituição tem atuado no limite, mas que não há flexibilização em relação à segurança dos produtos. “A segurança é um aspecto inalienável diante da incerteza do risco. Chegamos até aqui de mãos dadas com a ciência e amparados por evidências”, disse o diretor.

Confira o resultado da deliberação e os votos dos diretores.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Fale com a gente