Municípios baianos são destaque nacional na Agropecuária no PIB de 2018

0

A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) divulgou, nesta quarta-feira (16), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios baianos (2017-2018). No que diz respeito ao PIB dos Municípios, este é obtido a partir do rateio do valor adicionado bruto dos setores do PIB estadual entre os municípios, tomando como base estruturas de atividades construídas para cada um dos municípios.

Em 2018, o PIB baiano somou R$ 286,2 bilhões, sendo R$ 250,5 bilhões referentes ao Valor Adicionado (VA) e R$ 35,7 bilhões relativos aos Impostos sobre Produto. A Agropecuária foi o setor que apresentou melhor destaque positivo, cresceu 15,9% em volume, e sua participação passou de 6,7% em 2017 para 7,6% em 2018, onde se destacaram as atividades para agricultura pós-colheita e cultivo da soja. Já a Construção Civil, com retração de -2,8%, e a atividade de Serviço de Informação e Comunicação (-5,3%) foram as atividades que registraram queda em 2018.

“Essa dinâmica dos setores econômicos influenciou de forma diferenciada o PIB de cada um dos 417 municípios. Dessa forma, o desempenho positivo da Agropecuária foi relevante para determinar o ganho de participação dos municípios onde esta atividade tem maior impacto. As atividades de energia eólica e extrativa mineral também contribuíram com o bom desempenho dos municípios que mais cresceram em variação nominal em 2018”, ressaltou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

Por outro lado, Indústria de Transformação – refino de petróleo – e a Construção Civil foram as atividades que contribuíram negativamente para a retração industrial, determinando a queda de participação dos municípios de grande relevância nesse setor.

Os destaques em âmbito nacional no ano de 2018 foram os municípios de São Desidério e Formosa do Rio Preto, que ocuparam respectivamente o primeiro e segundo lugar no ranking nacional do valor adicionado da Agropecuária. Os municípios da região Oeste, Jaborandi (60,2%), São Desidério (54,8%), Formosa do Rio Preto (54,5%) e Correntina (53,6%) se destacaram no setor agropecuário principalmente com o cultivo da soja e algodão. Os municípios de Mulungu do Morro (318,7%) e Sento Sé (96,2%) tiveram melhor desempenho por conta da energia eólica. Já o município de Maracás (86,4%) apresentou destaque na extrativa mineral e o município de Cairu se destacou por conta da produção de gás.

Além dos municípios mencionados anteriormente, Camaçari se destaca no valor adicionado da Indústria (especificamente indústria de transformação), ocupando a primeira posição no Nordeste e décimo sétimo no ranking nacional dos municípios industriais. Salvador aparece como principal e mais importante município baiano na composição do valor adicionado do setor de Serviços, onde se destaca na oferta dos serviços de turismo, atividades financeiras, atividades de comercio e administração pública. Em 2018, Salvador se posicionou no segundo lugar no Ranking do PIB dos municípios nordestinos e Camaçari no quinto.

Já na análise da renda per capita (PIB per capita), São Francisco do Conde, apesar da queda na indústria do refino é o primeiro no Ranking do PIB per capita nordestino e décimo no Ranking Nacional.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Fale com a gente