Prefeito de Chorrochó é punido por ilegalidade na contratação de servidores

0

O prefeito de Chorrochó, Humberto Gomes Ramos (PP), foi multado pelo Tribunal de Contas dos Municípios em R$ 8 mil, nesta quinta-feira (9). Os conselheiros julgaram procedente o termo de ocorrência formulado pela Diretoria de Controle de Atos de Pessoal (DAP),  em razão de ilegalidade na contratação de servidores sem a realização de processo seletivo simplificado.

A DAP destacou que o apontamento descrito foi originário dos registros dos resultados dos exames por amostragem realizados nos meses de fevereiro, março, abril, maio, junho, julho, agosto, setembro e novembro de 2017, pela Inspetoria Regional de Controle Externo – IRCE, quando foram apontados os referidos meses e os processos de pagamento correspondentes, além dos valores envolvidos, da ordem de R$ 920.672,57.

Apesar de existirem algumas exceções para contratação de servidores sem a realização de processo seletivo simplificado, o gestor não trouxe aos autos, segundo o conselheiro relator, nenhum documento sobre a tais contratações e, muito menos, o processo seletivo simplificado que pudesse conferir legalidade ao ato.

O Ministério Público Especial de Contas destacou que era obrigatória a realização de prévio processo seletivo, dotado de ampla publicidade, com critérios objetivos de julgamento e avaliação veiculados no edital de convocação. A relatoria determinou que o gestor promova a realização de concurso público, no prazo de até seis meses, e afaste os servidores contratados irregularmente. A decisão cabe recurso.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Fale com a gente